quinta-feira, 30 de maio de 2013

Qual o seu número?

Os números são realmente importantes? Há números por toda a parte: nas casas, nos carros, nos quadros, na música, no vestuário,  no dinheiro,na base de tudo, estamos cercados por eles. Por isso, talvez, damos mais importância às informações numéricas do que à essência das pessoas. Por exemplo, sabemos ou procuramos saber: o número do telefone, a idade, o endereço, a altura, o peso, quanto ganha, quanto gasta, quanto tempo durou,quanto custou, o número do calçado ou da roupa.  Observando tudo isso, sinto-me resumida ao número do meu RG e do CPF, aliás quem não sabe de cor esses números não faz nada,  não compra nem um sanduíche.
Quando era adolescente – há bem pouco tempo atrás, diga-se de passagem, rs- olha aí mais um número, o tempo – lembro-me que uma professora ao  pedir que nos apresentássemos disséssemos nossa cor favorita. Na época, minha cor favorita era o rosa e, após ouvir atenciosamente a todos nós, ela explicou que a nossa classe era uma classe calma, pois a grande maioria dissera que o azul era sua cor favorita. Além disso, ela foi explicando o significado, em linhas gerais de cada uma das outras cores. Para mim, por exemplo, ela disse que a preferência pelo rosa indicava uma pessoa amorosa e possuidora de uma energia equilibrada.Senti-me fora do grupo onde quase todos escolheram o azul, porém a explicação dela, confortou-me. Lembro-me que fiquei fascinada com as explicações e com a professora de tal maneira que jamais esqueci aquela aula inaugural e iniciei muitas das minhas aulas da mesma maneira, pois achei uma forma excelente de ter uma visão geral dos alunos e da classe como um todo de maneira rápida.
Neste momento em que revejo essa aula, verifico que, como me foi dito num comentário “mantemos na memória tudo que é posto na primeira infância”  e essas memórias podem nortear nosso futuro e nossas escolhas de uma forma inacreditável, embora inconsciente.
Ao escrever esse texto, aquela aula brotou rapidamente em minha mente e, com ela, aquela sensação de  admiração por alguém que enxergava ou, pelo menos, buscava ver além dos dados pessoais.
Qual a sua cor favorita? E das pessoas que vivem em sua casa?  De seus amigos? Daquela pessoa que você acabou de conhecer? Busque a essência e não os números, especialmente quando estes são meros indicadores do que temos e não do que somos.


sábado, 25 de maio de 2013

Um mundo colorido


Desde que  a televisão e as fotos deixaram de ser em PB, tudo ao nossos redor parece ter explodido em cores. Na verdade, nosso mundo é uma miríade de cores e formas apaixonante. Neste jardim  em que vivemos, vale a pena saber aproveitar dos benefícios das cores para melhorar a saúde, as emoções e a intelectualidade. Cromoterapia é um assunto apaixonante para mim e recebi como um presente um comentário em uma das minhas postagens que gostaria de compartilhar com todos para que passemos a utilizar a força energética das cores como aliada:

Amarelo representa luz, vida, ação e poder.
É uma cor quente e expansiva, que ativa a mente e abre-a para novas ideias. O amarelo é uma cor ativa, expansiva, ambiciosa, excêntrica e inquiridora.Está ligada a certos estados d'alma, como a euforia, a variabilidade, a expectativa e a espontaneidade. Também está relacionada com a originalidade, a mente radiante e a franqueza. 
Ela torna mais sensível a consciência e nos deixa mais alertas; sua vibração também ajuda as pessoas que tem dificuldades para a aprendizagem, pois é uma cor que favorece a intelectualidade. 
O amarelo alimenta o ego e pode estimular e iluminar os recessos mais profundos da mente. As pessoas que se sentem bem consigo mesmas costumam adorar essa cor. Ela nos ajuda a assimilar conhecimentos e expande a consciência de uma realidade maior fazendo até com que as pessoas percam seu senso de limite. Psicologicamente, o amarelo está ligado à liberação da carga da responsabilidade excessiva, à redução da inquietação, da ansiedade e das preocupações. Tudo de um modo suave, mas não inconsequente. 
Amarelo-ouro:Onde há muita luz, esta cor cintila proporcionando uma sensação de magnificência. 
Amarelo-claro:Alguns tons pálidos do amarelo proporcionam uma sensação de espaço e de exaltação mental. Mas, os tons excessivamente pálidos também podem exaurir as energias; semelhante ao Sol, que nos dias frios de inverno é mais fraco e não tem a mesma luminosidade e calor. 
Amarelo-escuro: Cor que exerce um efeito negativo sobre nós, criando uma sensação de pessimismo e negatividade em relação ao próximo. 
Amarelo-mostarda:Cor associada à fraude, ao engano, à perda de vitalidade. Em roupas, pode dar a sensação de que a pessoa está pálida ou com pouca energia. 

Vermelho é calor, energia, sensualidade. 
Aumenta a tensão muscular, ativa a respiração, estimula a pressão arterial. É cor indicada para pessoas introspectivas, retraídas. O uso dessa cor revela uma pessoa vigorosa, ativa e enérgica, geralmente.
O uso do vermelho favorece a força de vontade, a conquista, a vitória, a glória e a liderança. Sua contemplação estimula à ação, à luta, à conquista. Ele faz a pessoa sentir-se intrépida, ousada, poderosa, corajosa. Em excesso perturba o sistema nervoso, dependendo de suas variações de tonalidade. É a cor das pessoas detentoras de magnetismo pessoal e de grande força vital psíquica ou orgânica. São pessoas dinâmicas, empreendedoras e às vezes, instáveis; e em casos extremos, violentas. 
Laranja é uma cor alegre e densa formada pela mistura de duas outras cores: o amarelo e o vermelho. Sua ação é intermediária a essas cores, sendo mais fraca que o vermelho e mais forte que o amarelo. Esta cor estimula a pessoa a despertar para os seus potenciais, a defender o próprio ponto de vista e a ser mais confiante. Cor estimulante da conversação; é a cor da vitalidade, da criatividade e da afetividade. Os tons mais pálidos do laranja nos fazem relaxar e torna-nos mais parecidos com aquilo que realmente somos. As pessoas se sentem mais capazes de se comunicar, e muitas descobrem que estão dispostas a usar sua criatividade, se ainda não o fazem. As pessoas que gostam desta cor geralmente são calorosas, criativas, alegres, imediatistas, positivas, expressivas e sensuais.
Sugiro a leitura de uma outra postagem: http://considerasobreeducacao.blogspot.com.br/2012/09/cromoterapia-e-dificuldades-de.html?showComment=1368757335221#c9080957149030987269
Obrigada  pela valiosa contribuição! 

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Segundas intenções:


A cada dia que passa vejo como o ser humano parece ter dificuldade em elogiar o outro pela simples  vontade de enaltecer algo admirável. Educadores e psicólogos  têm reiteradamente incitado as pessoas a praticarem o reforço positivo; entretanto, além de pouco disseminado, este hábito parece difícil de ser implantado e, algumas vezes, é utilizado erroneamente. Como o reforço positivo pode ser usado de maneira errada?
Por mais incrível que pareça, ele pode sim. Pessoalmente, presenciei como foi usado de forma a criticar os outros alunos da sala. Infelizmente, os outros alunos perceberam o artifício e eu mesma também, deixando um sabor amargo para todos.
Eu acabara de terminar uma pós e me interessei por um curso de extensão que já estava em andamento há dois meses.Todavia, como a professora já me conhecia como aluna, permitiu que eu iniciasse o curso já em andamento. Após um mês de aulas, ela pediu que escrevêssemos um artigo sobre um assunto que foi amplamente discutido em aula.
Na aula seguinte, eu entreguei o artigo e uma colega perguntou se poderia trazer na aula seguinte. Neste instante, a professora assentiu que ela trouxesse, mas acrescentou, ironicamente, que não esperava receber nenhum.Naquele instante, achei-a  desmotivada, pois um professor deve sempre motivar seus alunos a realizarem as tarefas propostas por acreditar que seria melhor para o desenvolvimento intelectual deles. Como assim??? Não esperava nenhum???!!
Na aula seguinte, ela devolveu meu artigo corrigido e acrescentou “-Você escreve muito bem, mas este superou todos os outros que eu já li.”
Feliz com o comentário elogioso de uma especialista no assunto, comecei a ler os comentários que ela havia escrito. De repente, uma das alunas questionou sobre o fato de terem  acordado que eles não fariam atividades escritas em casa.Neste momento gelei exilando-me, pois como eu iniciara o curso tardiamente, eu não participara dessa discussão e não tinha a mínima ideia desse combinado. A professora num tom sarcástico respondeu que ninguém precisava fazer as atividades se não quisesse. E, assim, iniciou-se um debate onde a professora insistia no elogio ao meu trabalho e a minha conduta enaltecendo o fato de eu ser boa aluna, estudiosa e sempre presente. Na verdade, ela não estava me elogiando apenas, ela comparava-me sutilmente com as outras, desmerecendo-as.
Desta aula,  não guardei apenas os elogios ao meu estilo,  mas, principalmente, o cuidado que devemos ter ao elogiar alguém sem usar esta técnica como modo de alfinetar os outros. Embora as palavras tenham sido gentis, a intenção foi claramente de denegrir a postura dos outros alunos. Não só não pude saborear o momento de glória como senti o gosto amargo de ter causado aquela pequena confusão.
Mais uma vez, aprendi uma lição, como não falar com uma classe e como fazer um elogio ser realmente um elogio. Bastava ter elogiado meu artigo e quando questionada a respeito do trato, ter confirmado a existência dele abrindo a possibilidade para que aqueles que quisessem, se sentissem à vontade para trazer seus textos. Foi um dia em que no mesmo instante vivi o meu ponto alto e, ao mesmo tempo, um ponto baixo também.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

O meteoro no quintal de casa.


Eu estava lendo uma revista que explicava que o meteoro não cai de repente em nosso quintal, antes disso há vários sinais indicativos que prenunciam a queda. Ao ler isso, lembrei-me do filme O Inferno de Dante porque, neste filme, vários indícios alertavam que o vulcão iria entrar em erupção embora as autoridades tentassem negar, até que ele realmente derramou sua lava por toda a cidade. Assim, também acontece em nossas vidas. Vamos, paulatinamente, recebendo dicas que você pode dizer que veem de Deus, dos anjos, do Universo, da intuição ou da deusa interior, porém, muitas vezes, preferimos não ver ou fingir que não vemos.
Meu filho recém começando o ensino médio continuou naquele ritmo lento de pós férias. Embora, eu fosse alertando que ele não estava estudando, que precisava se dedicar mais, ele preferiu pagar para ver e a recuperação caiu no quintal de casa e eu nem moro em casa....
Uma vizinha grávida estava com um pequeno sangramento, mas não ia ao médico pois preferia afirmar que “vai passar”, até que perdeu o bebê.
Uma amiga de minha filha chegava todo dia em cima da hora do fretado passar, uma manhã, ela teve que atravessar a rua correndo, em outra, as colegas pediram para o motorista esperar que ela estava vindo lá na outra esquina correndo. Até que, como eu disse, no começo deste texto, o meteoro caiu e ela perdeu o ônibus.
Como dizia Jesus Cristo: “ Quem tem olhos para ver que veja! Não é recomendável esperar que o meteoro caia, portanto quando os  pequenos estilhaços do meteoro começarem a aparecer, o sensato é tomar providências rápidas.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Banho de imersão para bebês ou de chuveiro?


Estamos numa era estressante onde a tecnologia ao invés de ajudar, parece ser mais um dos fatores desencadeantes do desgaste físico e emocional. Muitos psicólogos sugerem um banho de imersão como tratamento anti-stress ao final do dia, porque segundo os terapeutas, o este banho  é relaxante e proporciona bem–estar físico e mental. Porém, é importante criar um clima de relaxamento, seja usando meia-luz, velas, ervas ou aromas. Uma massagem corporal ativa a circulação ajudando o corpo a desintoxicar e reciclar a energia.
Consciente de tudo isso, preocupei-me muito ao ouvir  das pessoas com quem eu dividia a mesa numa festa de casamento que aboliram o banho de banheira de seus filhos!!!!!! Fiquei em choque até porque anteriormente eles haviam mencionado como os filhos gostavam de água.
Entendo e até concordo que o contato com o corpo da mãe ou do pai durante um banho de chuveiro é realmente muito salutar pelo lado do aconchego, carinho e contato, sem falar da rapidez. Mas, por favor, um não pode abolir o outro.
Os bebês precisam, assim como os adultos, da imersão na água. Pela pouca idade, as lembranças do útero materno no ambiente aquático são totalmente benéficas, trazendo sensação de tranquilidade  e relaxamento, por isso, atualmente, defende-se até o banho de ofurô para bebês, dado inclusive nas escolas.
Fica, então, a minha dica, uma forma não substitui a outra. Nada como um bom banho de banheira com calma, tranqüilidade e muito amor!!


sexta-feira, 10 de maio de 2013

Banho de beleza


Com a proximidade do dia das mães, paramos para refletir um pouco sobre  a rotina diária e extenuante das homenageadas. Daniel Goleman, autor da teoria da inteligência emocional, afirma que uma criança  atrai a atenção do cuidador seja pai, mãe, babá ou professora três vezes por minuto. Parece inverossímil ? Não, se considerarmos que esta atenção pode ser  porque está fazendo algo inseguro ou para perguntar ou pedir algo.Assim multiplicando este dado pelo número de filhos ou crianças sob sua responsabilidade, podemos estimar o grau de desgaste físico e mental sofrido pelo cuidador.
Por outro lado, muito tem sido falado sobre a importância de dedicar atenção, carinho e tempo às crianças de forma a  propiciar o  desenvolvimento saudável e inteligente.
Cobranças, mais cobranças e culpa.... e culpa e... mais uma vez... culpa. Assim, num almoço entre amigas, tudo que escutei foi o desabafo pungente de mães, esposas e profissionais que tentam exaustivamente driblar o relógio e corresponder a todas essas expectativas.  Frustradas e culpadas por  esquecer de ler a agenda, mandar o prato de doce para o piquenique  ou  enviar as fotos pedidas pela escola, desfiam um rosário de lamentações, tristezas e mágoas consigo mesmas.
Em defesa das mães, gostaria de salientar que educar um filho é um grande, detalhado e longo projeto que precisa ser desenvolvido por uma equipe formada por todos os que cercam as crianças; pais, professores e familiares. Ninguém nunca disse que é uma tarefa individual!
Para as mães, sugiro que ousem reservar diariamente  dez minutos de total silêncio, tomem aquele banho demorado, acarinhando-se, curtindo-se, passando todos os cremes disponíveis sem interrupções nem batidas na porta.  Nada como um encontro com você mesma, com sua essência, para voltar ao equilíbrio. Após este ritual, você voltará melhor para seus afazeres familiares ou profissionais. Reserve um tempo para você!

sábado, 4 de maio de 2013

Ensinar a pensar ainda é uma revolução.


O filme O Sorriso de Monalisa ilustra magnificamente algumas das ideias de Paulo Freire sobre a instituição escolar  e o ensino tradicional.
Primeiramente, observa-se a classe burguesa e dominante controlando a vida das alunas para aceitarem e sonharem com o casamento como a única possibilidade de futuro promissor e perfeito. Ao longo do filme, vemos várias propagandas onde a moça é apresentada como a dona de casa feliz cercada de suas tarefas e utensílios do lar. Neste cenário,pensar ou fazer análise crítica de fatos não está entre suas possibilidades. As mulheres eram criadas para almejar casar-se, de preferência, enquanto ainda cursavam a faculdade e ainda ensinadas a aceitar as normas e a situação vigente.Aquelas que não estavam  namorando ou que ousavam buscar o conhecimento eram excluídas e menosprezadas. Neste quadro, a educação tradicionalista é motivo de orgulho e extremamente importante para a manutenção do status quo.
O ensino tradicionalista  pode ser usado como exemplo para o que Paulo Freire chama de  educação bancária, ou seja, os professores depositam o conteúdo  estabelecido na cabeça dos alunos sem discussão ou desenvolvimento de pensamento crítico. A instituição, representada nas pessoas de seus professores, domestica e aliena o aluno através do conhecimento imposto e depositado como num banco. A competência lingüística e cultural ensinadas pelas aulas de línguas, retórica, história, filosofia e artes garantem o sucesso e o status social. Portanto, não se busca formar cidadãos que questionem ou reflitam, mas almeja-se a manutenção e preponderância da classe dominante.
Retomando o filme,todos os que agissem de modo diferente como a enfermeira ou a professora de Artes eram taxados de subversivos e afastados da instituição. Por isso, “O importante, não resta dúvida, é não pararmos satisfeitos ao nível das instituições, mas submetê-las à análise metodicamente rigorosa de nossa curiosidade epistemológica”. (Freire,1998, p. 48)
Assim, a professora de artes busca ajudar as alunas a sair de uma situação alienante para uma situação de compreensão e atuar na realidade transformando a relação entre elas e a maneira de projetar o futuro.
De maneira a atrair a atenção das alunas, a professora inova e surpreende saindo dos parâmetros e preparando uma aula completamente diferente, leva à construção do conhecimento partindo daquilo que as jovens já sabem. A professora lê os arquivos pessoais das alunas e propõe atividades sempre diferentes e dinâmicas de acordo com as preferências das alunas, como a visita de campo, por exemplo. Ao mesmo tempo, faz com que as meninas pensem e reflitam sobre os pontos apresentados, instigando, questionando e ouvindo o que elas dizem. Também, transmite segurança garantindo que não há certo ou errado e até, na avaliação, pede que elas exponham suas ideias comparando e concluindo. Muito difícil no começo, mas, com sucesso, ajudou na construção do conhecimento e  a abrir a mente para o novo. Assim, podemos usar esta citação para resumir o trabalho realizado:

“Uma das tarefas mais importantes da prática educativa-critica é propiciar as condições em que os educandos em suas relações uns com os outros e todos com o professor ou a professora ensaiam a experiência profunda de assumir-se. Assumir-      se como ser social e histórico, como ser pensante, comunicante ,transformador, criador, realizador de sonhos, capaz de ter raiva porque capaz de amar.”(FREIRE)