sábado, 26 de outubro de 2013

Sócrates e as redações

Estava super feliz por ter acabado de fazer uma nova postagem em meu blog e expressei isto em voz alta:”Feliz  feliz com meu novo texto!!!" Então, meu filho perguntou o porquê  e eu expliquei que fico feliz quando tenho ideias para  colocar no blog. Ele, sem tirar os olhos do teclado, explica-me   que Sócrates acreditava que o conhecimento está inato em todos os seres humanos, por isso ao colocar minhas ideias no papel,
eu estava  feliz pois estava parindo ideias.E ainda acrescentou, “é como se mais um irmão meu estivesse nascendo, por isso essa sua felicidade.”
Surpresa com a constatação de meu filho de quinze anos, fiquei feliz por reconhecer que meu investimento financeiro na escola tem sido bem utilizado pois é capaz de pensar, filosofar, fazer citações,expor suas ideias, concordar ou discordar com propriedade. Enfim, há  um jovem com conteúdo por baixo daquele ar irreverente que adora fazer de conta que nada sabe, pois ser inteligente é um MICO.
Este fato levou-me a indagar porque nossos jovens que passam tanto tempo teclando, não sentem o mesmo prazer com as atividades de redação propostas pela escola.
Cabe ao professor ser criativo, conhecer bem os alunos e iniciar por uma pesquisa, seguida de um ampla discussão com muitas perguntas para, por último concluir com a redação. A maiêutica socrática consiste em inquirir com  o objetivo de  conhecer a forma de pensar dos indivíduos, respeitá-la e provocar  o nascimento de uma nova ideia com base neste questionamento. Para Sócrates o conhecimento está latente, mas faz-se necessário fazê-lo vir à superfície.
Nesta busca, vale aliar-se à arma poderosa   constituída pelos recursos que a tecnologia disponibiliza como blogs, mini-blogs, Facebook ou twitter para desenvolver o hábito de uma escrita  guiada e acadêmica*.Quanto mais escrevemos, mais fácil vai ficando escrever, é uma questão de criar o hábito tão salutar e tão fundamental como ler e escrever.

domingo, 20 de outubro de 2013

Capoeira e ensino de línguas

A capoeira é um processo dinâmico, coreografado, desenvolvido por dois parceiros. Caracteriza-se pela associação de movimentos rituais, regidos pelo toque do berimbau, simulando intenções de ataque, defesa e esquiva, ao mesmo tempo em que exibe habilidade, força e autoconfiança, em colaboração com o parceiro do jogo. A coreografia desenvolve-se a partir de um movimento básico denominado  gingado que, embora  proporcione  liberdade de criação,  conserva a estrita obediência aos rituais, a preservação das tradições, o culto aos antepassados e o respeito aos “mais velhos”..( Visualizado em 20/10/2013 às 15h em: http://www.pime.org.br/mundoemissao/indigenascapoe.htm)
Você deve estar se perguntando porque estou falando em capoeira num blog sobre educação. Bem, não bastasse a questão de ser  jogada em círculo proporcionando uma maior socialização e ajudando no desenvolvimento do trabalho em equipe, traz também à luz a oportunidade de conversar sobre nossa cultura e as origens de nossa população miscigenada. Não obstante, o motivo principal de defendê-la aqui é o ritmo e a coreografia. De forma lúdica, as crianças aprendem a obedecer ritmos sem perder a criatividade, qualidades fundamentais para quem aprende uma segunda língua.
O  lúdico, o gingado, o ritmo, os exercícios, a roda e a música são componentes que a tornam essencial na educação das crianças e jovens. Numa era em que os computadores estão aprisionando as crianças em pequenas telas e onde escolas bilíngues estão desenvolvendo várias propostas, a prática da capoeira deveria ser relida como uma atividade fundamental também nas escolas.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Aromas e viagens


O Olfato é dos sentidos que se fixam no cérebro humano por um período mais duradouro, pois são armazenados no sistema límbico sob forma de emoções ligadas à pessoa. Ao  sentir novamente o aroma,  a pessoa revive aquele momento vivenciado anteriormente com toda a gama de emoções despertada por ele.
Assim, passeava sozinha pelo Gonzaga quando senti o aroma de churros e, então, comecei  viajar pelos aromas, pulando de um para outro numa viagem colorida e perfumada:
Aroma de churros no ar, transponho-me imediatamente para a fonte do sapo. Quantas e quantas tardes passei com meus filhos e amigos, andando de bicicleta, patins ou patinetes. Você sabia que um churros com recheio de chocolate tem 550 calorias?? Mas, qual o problema, quando se passa toda uma tarde correndo atrás de crianças em suas rodas?  Nenhum. Tardes de domingo, fonte do sapo e um delicioso churros.
Deste aroma, iniciei minha viagem pela aromaterapia, recordando-me de outros aromas que também me transportam:

Nova York tem aroma de Light Blue for men/DG- quando fui a Nova York, este perfume estava sendo lançado e pude apreciá-lo em cada perfumaria,cada department store, até nas ruas e outros tipos de lojas. Para mim, definitivamente Nova York cheira a Dolce Gabbanna Light blue for men.


Café. Quem não gosta de café? Bem, aroma inebriante de café no ar com direito a doce de café e passeio de bonde. Viagem a um passado que não me pertenceu, mas cujas histórias, ouvi muitas vezes dos lábios de meus pais. Assim, com paralelepípedos, café e bonde, estávamos prontos para o embarque.

Barulhinho de chuva, cheirinho de chuva, o que falta?? Já que temos o ingrediente principal, é só fazer os bolinhos de chuva. Oh, farra gostosa!

Cheirinho de carro novo – uma mistura de vinil, plástico e borracha.Não há como não sentir, não há como não comentar e, claro, desejar.

Chocolate, por último  deixei o melhor, anti-stress e calmante. Quente para proteger contra o frio, esquenta e vai delicadamente tomando conta de cada parte do corpo enquanto é absorvido. Uma paixão!

Sentei-me num café, para continuar minha jornada mais confortavelmente, e senti o aroma da pipoca. Hum, cinema, fonte do sapo de novo, parques, zoológico, monte de amigos e jogo de futebol!

Há muitos meios de viajar! Gosto de todos! Por isso, por que não incrementar suas aulas com aromas: pipoca, chocolate, perfumes, flores? Traga a  realidade para a sala  e depois volte a sonhar. 


quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Dia das crianças chegando...já comprou os presentes?

     Dia das crianças chegando, correria dentro das escolas com mil atividades  diferentes e muito doce. Nas lojas, pais, tios e familiares procurando desesperados pelo presente mais atraente para seus pequenos. Porém, nem tudo são flores,às vezes, está em falta aquele brinquedo escolhido e aí, uma empreitada difícil tem início. Aquele momento que deveria ser prazeroso, torna-se um calvário a cada não recebido pelos donos das lojas. Já passei por isso com minha sobrinha há muito tempo atrás. Eu já tinha não só resolvido, como comprado o presente quando minha cunhada me pede para encontrar um bendito castelo que ela não conseguia achar. Depois de uma longa peregrinação,  consegui achá-lo  porém, como levá-lo no avião sem quebrar ou danificar o lindo castelo de diamante. Desnecessário dizer que briguei com meio mundo, mas consegui levar o enorme castelo – claro que um castelo tinha que ser enormeeeeeeee -  grudado comigo no avião.Ninguém ousaria tirá-lo de uma madrinha em missão quase impossível!!!
Hoje lembro até com carinho e orgulho deste momento, mas foi um perrengue indescritível!
Hoje, entretanto, minha postagem tem outro cunho. É uma postagem de lamento e pesar. No telejornal da hora do almoço, a repórter sugeria uma gama de brinquedos dos mais variados valores  e para diferentes faixas etárias, todavia, em nenhum momento foi mencionado presentear com brinquedos educacionais ou livros. Entristeci-me – fato raro- em minha vida.
Por isso, ainda em tempo, sugiro LIVROS. Absolutamente nada contra  brinquedos, como  já deixei bem claro no meu relato no início desta postagem, mas entre os presentes, porque não incluir livros. Para os bebês, há os livros  de banho que são uma ótima e divertida opção.Para os mais velhos a literatura infantil e infanto-juvenil é bem rica e variada. Ao invés de correr às lojas de brinquedos que estão super lotadas, vá até uma livraria! Maquiagem para adolescentes?? Elas já têm muitas, compre um livro! Incentive, mostre, compartilhe, inove!
Meu filho- ele adora quando é mencionado em minhas postagens-  acabou  de receber dos padrinhos dois livros e o sorriso de felicidade dele foi impagável!!! Tão lindo e largo como na ocasião que ganhou uma prancha de surf ou um tablet. Não estou fazendo apologia aos livros, mas lembrando que são uma opção! Não basta reclamar da educação, faça  algo todos os dias!!

Um oferecimento:
   


                                                                                                   

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Dicas para ajudar na escolha da escola.

Em que escola coloco  meu filho?Uma questão que atormenta muito os pais. Há tantas possibilidades e, ao mesmo tempo, é uma escolha tão importante.
Costumo aconselhar aos pais que observem bem seus filhos e respeitem o perfil de cada um. Por exemplo: minha filha desde pequena adorava pintar, dançar e outras formas de expressão artística, por isso escolhi uma escola que tinha um ateliê de artes imenso e efetivamente fazia uso dele. Com o passar do tempo, minha filha demonstrou ter uma facilidade maior para a área de exatas, porém não abandonou o gosto pelas artes e, ao escolher, uma escola para o ensino médio, escolheu uma excelente escola com ênfase para as exatas, mas que tem aulas de arte/música nos três anos do ensino médio. Ela, inclusive participou de um concurso de contos incentivada pela escola e obteve o segundo lugar conquistando inclusive a publicação numa revista.
Por outro lado, meu filho desde pequeno demonstrou uma grande preocupação com as pessoas mais carentes e uma tendência para obter melhores resultados na área de  cálculos. Ele foi para uma escola onde a preocupação tanto com inclusão social como com a ajuda aos menos favorecidos seja em comunidades ou instituições tem um papel relevante, e concomitantemente, propicia participação em olimpíadas de astronomia, física, matemática e cursos de games.
Na verdade, meu objetivo é elucidar que cada pessoa tem um perfil e que  este precisa ser respeitado na hora de escolher a escola. Nossos filhos não são uma extensão de nós mesmos nem tampouco vieram ao mundo para realizar nossas  frustrações ou desejos.
Eu sugiro que visitem as escolas sem as crianças/adolescentes primeiramente para averiguar questões práticas como locomoção, valores e métodos, para só posteriormente levar as crianças até a escola e  observem atentamente seus filhos:
- O que ele gosta de fazer? Desenhar? Pintar? Colorir? Ler?
- Ou é mais voltado para os exercícios físicos e atividades ao ar livre?
- Levanta bem humorado ou precisa dormir até tarde?
- Faz amigos com facilidade? Ou é mais tímido?
- Quais os valores da escola?
-Quando são mais velhos: costumam cumprir com as tarefas escolares, como são as notas, qual a área de preferência? Precisam de supervisão nos estudos?
Todos estes aspectos da personalidade ajudam a traçar  um roteiro do ambiente e método que irá ser mais adequado para que seu filho possa se desenvolver intelectualmente e se adaptar à escola. Boa sorte na empreitada!


terça-feira, 1 de outubro de 2013

Alunos ansiosos - como lidar?

capa do gibi
Nove horas da manhã, antes de um bom dia, chega aquele sorriso gostoso me metralhando de perguntas: Vai ter jogo hoje?  Vamos ver algum filme? Vamos pra sala de ICT? Vai ter  cooking class? Os novos alunos virão? Você poderá pensar que é um aluno hiperativo, porém é diferente, é um aluno extremamente ansioso.
O hiperativo, já chegou correndo  muito antes e aos  saltos batendo no batente superior das portas e dançando ao mesmo tempo em que me cumprimenta.
Você acha que parou por aí, nada disso. Ainda faltam os que estão morrendo de sono e no automático, praticamente nem saíram da cama ainda. Um mundo bem colorido  que exige um olhar especial sobre cada um.
Hoje, dissertarei sobre  no meu aluno ansioso. Será que as mães de antigamente não criavam seus filhos já na ansiedade? Elas tinham várias preocupações: o sexo do bebê, a saúde, o enxoval, o dia a dia  da casa.  Atualmente, as crianças são geradas por mães com preocupações muito mais diversas e medo. A angústia já permeia os nove meses de gestação com questões sobre  dívidas, emprego, violência, como educar, insegurança e medo.
Além disso, aprendemos pelo exemplo, portanto comportamentos ansiosos também são imitados: será que comeu o suficiente?, está fazendo atividades físicas?, a escola é boa?, está triste?, computador de mais ou de menos?, estará preparado para a vida e a competição?, tem amigos?
As crianças roem unhas,arrancam os cabelos, comem em demasia,pulam de uma atividade para outra sem  completá-las e estão sempre pensando no depois. Estes são apenas alguns sinais da ansiedade já instalada, na verdade desde antes do berço.
Com meu sorridente e ansioso aluno, ensino a esperar. Sorrio e respondo  vou receber seus amigos e depois vou explicar nosso cronograma. É importante   baixar a ansiedade respondendo suas perguntas, porém ensinando-o a esperar e mantendo-o ocupado antes que roa não só as unhas mas todos os dedos. Após receber a todos, inicio o ritmo normal: abrir livros e cadernos, pegar o estojo e escrever a data. Só então, após esta etapa que transmite segurança porque sabem todo o processo que se seguirá, explico o que está planejado e peço a colaboração de todos ou teremos que deixar de fazer algo.

Ao longo da aula, outros momentos de ansiedade voltarão, então ensinei-os a acalmar a ansiedade respirando fundo várias vezes e contando até cinco. Organizo a aula entre momentos de aprendizagem, de trabalhos manuais,de exercícios físicos e jogos cooperativos ao ar livre, pois esta alternância de atividades ajuda a manter a ansiedade reduzida. E, antes de terminar, vale lembrar que controlar minha própria ansiedade é um ponto fundamental.