terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Técnicas de aprendizagem


Normalmente, quando as decorações de Natal começam surgindo em vários pontos da cidade, alguns pais e alunos não conseguem curtir estes momentos mágicos pois estão muito preocupados com as notas e uma possível reprovação.Para tentar evitar que essa preocupação escureça uma época tão literalmente iluminada de nossas vidas, aproveito esta oportunidade, ainda em tempo, para colocar alguns pontos importantíssimos.
Muito se fala em estudar todo dia, mas o que é estudar todo dia? Especialistas já declararam e provaram que o cérebro precisa ser exposto mais de uma vez ao conteúdo para memorizá-lo, por isso, estudar todo dia significa que, antes de dormir, o aluno revise tudo o que aprendeu  na aula. Deste modo, quando o cérebro recebe a mesma informação pela segunda vez no mesmo dia, classifica-a como importante e retém a informação. Enquanto dormimos nosso cérebro faz uma varredura e elimina o que parece não ser essencial, por isso, quem estuda a noite, precisa antes de dormir, reservar  quarenta e cinco minutos e rever o que foi estudado em classe ou grande parte poderá ser simplesmente deletado do seu cérebro. Este mesmo cuidado  se aplica a quem costuma dormir por mais de duas horas no período da tarde.
Costumo dizer para minhas amigas que dar a ordem:”Vai estudar!” é infrutífera se a criança não tiver desenvolvido técnica e ritmo de estudo. Há várias técnicas para auxiliar no aprendizado e cada pessoa precisa encontrar seu caminho.
Eu, por exemplo, estudava  Direito caminhando pelo corredor da minha casa e lendo em voz alta as leis e teorias ensinadas em aula. Nesta fase da minha vida, eu já sabia que aprendo melhor quando leio e falo em voz alta. Preciso aliar ambas as técnicas. Faltar às aulas, sempre significou uma grande perda para mim porque ouvir as explicações sempre foram um bom caminho para  apreender o que estava sendo ensinado. Por outro lado, quando aprendia línguas, precisava desesperadamente ver a palavra escrita, pois visualizar o que era dito era fundamental para que eu não embarcasse numa viagem como na música Aquarela de Toquinho “Quando um pingo de tinta cai num pedacinho azul do papel..uma linda gaivota   ....” E, lá ia eu e a gaivota em pensamentos para outro planeta.
Com esta bagagem, eu insistia com meus filhos que eles tinham que estudar inglês falando  os diálogos em voz alta. Muitas vezes, brigamos por causa disso, até que eles foram capazes de me explicar que escrevendo  é melhor para eles.Bem, filho de peixe , nem sempre peixinho é, cada  pessoa tem seu jeito de aprender e descobrir isso pode fazer toda diferença em sua vida.
Howard Gardner, ao defender sua teoria das Múltiplas Inteligências, esclareceu este ponto com maestria, enfatizando que todos somos inteligentes e precisamos descobrir como aprender, pois esta habilidade varia muito de pessoas para pessoa, por isso, enquanto eu aprendo falando, meus filhos aprendem escrevendo.
Algumas técnicas, entretanto, podem ser válidas para a grande maioria:

1.      Ler os textos, silenciosamente ou em voz alta, grifando com canetas coloridas a informação substancial, excluindo os exemplos e repetições.
2.      Resumir o que foi lido e sublinhado, reescrevendo com suas próprias palavras acrescentando ideias mencionadas pelo professor ou de outras fontes de pesquisa.
3.      Durante as aulas expositivas, ir tomando notas mesmo que desorganizadas, pois além de arquivar as informações dadas de uma forma concreta auxilia a manter o foco no tema.Use post-it ou escreva nas margens, mas tome nota.
4.      Pessoas visuais memorizam e aprendem melhor com gráficos. Faça um resumo e monte um esquema ou gráfico com palavras chaves.
5.      Refaça os cálculos sem olhar as respostas.
6.      Estudar  TODOS  os dias. Estabeleça um ritmo e um horário e, todos os dias, siga seu próprio cronograma. Vença a preguiça inicial e sem televisão ou computador, cumpra sua rotina de estudos. Caso precise do computador,  desligue-se das redes sociais.

Com certeza, uma hora por dia é o suficiente para fazer as lições e revisar as matérias ensinadas. Ajude seu cérebro! Coopere com você mesmo  e tenha um  fim de ano tranqüilo. Mude e curta a chegada do Natal , sem receios nem angústia. É melhor ser a formiga que vai fazendo um pouco todo dia ou a cigarra que canta o ano todo e quando todos estão curtindo a iminência das festas e férias, fica congelando e morre no frio. Seja uma formiga! Você pode!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aguardo seus comentários.Eles são muito importantes para mim pois meu objetivo é aprofundar conhecimentos e esclarecer minhas próprias dúvidas.